registos, leituras, ecos, palavras, imagens, gestos, passos de dança e ensaios de voo...
aromas e sabores que (a)guardo carinhosamente





segunda-feira, 22 de março de 2010

a splash away (III)

ambos nasceram junto à praia. em praias diferentes é bem certo, com diferentes vivências, cresceram em enquadramentos diversos. as suas histórias de vida teram poucos pontos comuns, mas sente que poderiam ter sido amigos de infância. consegue imaginá-los compinchas de cabelo queimado pelo mar salgado, ele na água, a romper as ondas, ela na areia molhada a sentir o sol na pele e o vento no rosto. terá sido o marulhar que os juntou? essa música de fundo que a acompanha na imaginação, aquele movimento constante de ondas que morrem para de novo se erguer? porque é esse o ritmo que sente no peito aliado ao bater do seu próprio coração... hoje, quando falam do mar, são envolvidos pela nostalgia das suas memórias mais ternas, multiplicidades de sentires que as falésias eternizam e neles encontram fio condutor para diálogos apaixonados. descalços, a enterrar os pés prazeirosamente na areia molhada, jeans arregaçados, olhar preso na linha do horizonte, a oceanos de distância, vivem a mesma sensação de liberdade, o mesmo voar sem asas, o mesmo coração de mar... gaivotas perdidas à procura de... sabe Deus o quê...

3 comentários:

brisa de praia disse...

gostei de ler estas palavras.
para mim, fazem todo o sentido!:)

Anónimo disse...

Estas palavras não me são - de todo -, desconhecidas...
Pelo contrário.


;)

brisa de praia disse...

bem-vinda, Ivy, à Brisa de Praia.
agora percebes pk gostei do que aqui li sobre a praia?! ;)
bj e obgd