registos, leituras, ecos, palavras, imagens, gestos, passos de dança e ensaios de voo...
aromas e sabores que (a)guardo carinhosamente





quinta-feira, 29 de abril de 2010

quando me embalas

(Photo by iNeedChemicalX on deviantART)

quando me embalas
com as tuas palavras doces
sinto o calor dos teus braços,
o toque suave do teu corpo,
o teu dedo nos meus lábios.

sonho o desejo e as caricias,
invento a liberdade de te querer,
e tudo se desvanece à minha volta...

para lá do véu diáfano que criei
ficámos tu e eu:
num abraço que tende para infinito,
à distância de um cerrar de olhos imaginário

suave e denso,
és nevoeiro que me encanta,
brisa marinha
que me embala e enternece

5 comentários:

b ú z i o disse...

gosto tb da musiquinha :)

b ú z i o disse...

este é o teu melhor poema, Ivy e a etiqueta, é linda...

BlackQuartzo disse...

...doce gaivota.

(Bjnhos)

ver vamos disse...

Afinal, parece que sempre existes. Tás a ver?
E desistir?
É que nem pensar nisso!

;)

Anónimo disse...

Ah!

Esse comentário do ver vamos é meu!




(não anónimo)