registos, leituras, ecos, palavras, imagens, gestos, passos de dança e ensaios de voo...
aromas e sabores que (a)guardo carinhosamente





domingo, 9 de maio de 2010

(soul?!) mate


o vento embala
almas e sentimentos
dependentes de horas
e marés, agitando véus
levantando nevoeiros

vozes recicláveis
revelam a cor das palavras
férteis em sentidos
duplos e dúbios, múltiplos
e multiplicáveis por olhares
maldosos de homens
que nada temem

é bom ter sono e fome e frio;
temer, respeitar, honrar,
poupar, mulheres frágeis
de cabelos finos, aureola
em riste e máscara no rosto

impensável borrar o retrato
embaciado, desenhado sem rigor
mas com preci(o)sos traços
de irascível jogador de xadrez
que sacrifica torres, bispos,
cavalos e peões, mas salva
sempre, sempre a rainha!...
 
 

escrito algures em 2008

2 comentários:

Adrian LaRoque disse...

Gostei!

ivy disse...

Adrian,
Obrigada, é apenas simpatia sua.

beijinho e votos de uma boa semana